terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Chegou a hora de Lewis

Não estranhem. A coluna abaixo era para ser publicada no dia 11/02. Como não sei se ela chegará a ser publicada no Papo de Bola, reproduzo-a aqui.

Lewis Carl Davidson Hamilton entrou na F-1 com pinta de bom moço. Mesmo sendo uma grande revelação, poucos imaginavam que ele faria tudo aquilo no ano passado.

Dizem que a última impressão é a que fica. Por isso, Lewis foi sacrificado por muita gente. Seus erros na reta final do campeonato, quando tinha a taça nas mãos, foram grotescos, é verdade. Mas vale lembrar que ele é apenas um estreante. Um estreante que ainda é uma (talentosa) promessa.

Em 2008, porém, Hamilton terá de provar novamente que pode ser um grande campeão. Mas a tarefa não será das mais simples.

Sem a experiência e a qualidade para acertar carros doadas pelo bicampeão Fernando Alonso, a McLaren perderá bastante. E Hamilton também, claro. Mesmo tendo aprendido (pouco) com o espanhol, Heikki Kovalainen, seu novo companheiro de equipe, tem quase a mesma inexperiência.

Chegou a hora de Lewis mostrar, novamente, porque veio ao principal campeonato automobilístico do planeta. Se a McLaren tiver um carro competente, Hamilton pode levantar o caneco, por que não?

E de quebra, calará a boca de muita gente. Principalmente de uma meia dúzia de espanhóis que foram ao circuito de Barcelona na última semana ‘celebrar o carnaval’.

O que a Red Bull faz com seus pupilos?

Uma nota curta, mas interessante: alguém reparou ultimamente os resultados de cada um dos pilotos apoiados pela Red Bull? Enrique Bernoldi, Patrick Friesacher, Narain Karthikeyan, Scott Speed, Vitantonio Liuzzi e Christian Klien. Nenhum deles conquistou números expressivos na F-1. Mas eram pra ter conquistado. E estão, todos eles, com poucas chances para retornar ao Mundial.

Além disso, a dupla da equipe para este ano é formada por David Coulthard e Mark Webber. Talvez a pior do grid. E que nunca teve algum relacionamento com o Red Bull Junior Team.

Resta saber se o RBJRT não queimará novamente os talentos que estão surgindo. Em seu programa, atualmente, há algumas grandes promessas, como Sebastian Vettel, Brendon Hartley, Mika Maki e Robert Wickens. Mas também possui alguns que já são considerados fracassados. Exemplos de Sébastien Buemi e Mikhail Aleshin.

A ver.

Show australiano

Sim, a etapa de Sydney da A1 Grand Prix foi disputada a mais de uma semana. Mas eu não poderia deixar de falar sobre as corridas. Sob forte chuva, França (Loic Duval) e África do Sul (Adrian Zaugg) levaram a Sprint e a Feature Race, respectivamente. Vale ressaltar também a bela participação de alguns pilotos que se destacaram no molhado. Entre eles, Robert Wickens (CAN), John Martin (AUS), Johnny Reid (NZL) e Sergio Jimenez (BRA).

Loeb´s who?

Foi um final de semana terrível para o francês Sébastien Loeb. Na Suécia, onde foi disputada a segunda etapa do Mundial de Rally, Loeb capotou seu Citroën C4 e teve o motor danificado, abandonando no segundo dia. Enquanto isso, a Ford dava as cartas na Escandinávia, com Jari-Matti Latvala. O finlandês não só superou seu companheiro de equipe, Mikko Hirvonen, como subiu ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez. Com isso, Latvala tornou-se o mais jovem competidor a vencer uma etapa do WRC, com apenas 22 anos.

Destaque também para Gigi Galli, que começou a temporada de maneira arrasadora, e Petter Solberg, que, ao contrário de seu irmão, Henning, vem mostrando muita frieza.

Com o pé direito, por favor

Dale Earnhardt Jr. iniciou com vitória sua parceria com a Hendrick. Na primeira etapa de 2008 da Nascar, o filho do lendário Dale Earnhardt levou a Shootout Daytona, prova qualificatória para a tradicional Daytona 500 - a ser disputada no próximo dia 17. Completaram o pódio Tony Stewart, com um excelente resultado para a Toyota, e Jimmie Johnson, atual campeão do certame.

Pit Stop

* Antônio Hermann, promotor das Mil Milhas Brasil, divulgou oficialmente que a prova não mais fará parte do calendário da Le Mans Series. Mais informações serão divulgadas brevemente. Por enquanto, uma pena.

* Luciano do Valle afirma constantemente, e já saiu até uma notícia sobre isso no Amigos da Velocidade. Parece que a IndyCar Series tem grande chances de realizar, ainda neste ano, uma prova de rua em Recife. Interessante.

* O governo da província de Estíria, na Áustria, confirmou a rejeição do plano de reestruturar o circuito de A1 Ring, em Zeltweg. O autódromo, que já recebeu sete etapas da F-1, foi adquirido pelo todo-poderoso Dietrich Mateschitz, dono da Red Bull. Desde então, o circuito iria passar por uma grande reforma, que não aconteceu, e está praticamente abandonado.

* Quer uma notícia bizarra? Gastón Mazzacane, aquele mesmo, disputará a temporada 2008 da F-Truck. O hermano, que já teve passagens mais que apagadas por Minardi e Prost na F-1, tem boa reputação na Argentina, tendo até um fã-clube com reuniões semanais em sua homenagem. A contratação de Mazzacane faz parte do plano de internacionalização da Truck.

Um comentário:

Solarolo disse...

Como é q é, André? Mazzacane tem fã-clube na Argentina, q se reúne toda semana? Puxa vida... Um país que produziu Fangio, Gonzalez e Reutemann não podia fazer isso... É muito mau gosto!!! E nem tem aquela desculpa de que "Ah, no Brasil tem fâ do Rubinho..." Nem tem como comparar... As únicas vezes em que o Mazzacane foi notado correndo de monopostos foi em Indianápolis, quando ele andou um punhado de voltas em quarto lugar segurando o Mika Hakkinen, e na Champ Car, num circuito de rua desses aí (não me recordo qual) onde ele ficou segurando o Paul Tracy (logo quem!) um bocado de voltas também, tava em quarto ou quinto, sei lá, até o barril de óculos dar um dos seus 1897 porrões que ele já deu na traseira de quem ousa andar na frente dele! Acho q essa dele ir para a Truck foi jogada do "Macarrão"... Ele precisava de alguém para andar atrás dele, o Mazzacane seria o cara ideal!!!